Como o bruxismo pode afetar seu sono

FacebooktwitterFacebooktwitter

A qualidade do sono é essencial para a nossa saúde, já que influencia em diversos aspectos do nosso dia. Veja aqui como o bruxismo pode afetar seu sono e formas de tratamento!

É fundamental ter uma boa noite de sono, porém, muitos são os problemas que podem contribuir com as noites mal dormidas. O bruxismo é uma delas e, embora não se saiba ao certo quais são suas causas, prejudicam o nosso dia.

Esse distúrbio do sono pode gerar dor de cabeça, desconforto ao morder, dor facial, cansaço por não relaxar enquanto dorme, entre outros. Além disso, é válido saber que existem dois tipos de bruxismo, o cêntrico (as pessoas apertam os dentes) e o excêntrico (trata-se do ranger dos dentes). Saiba mais!

Como o bruxismo pode afetar seu sono

Imagem de Robyn Wright por Pixabay

Bruxismo é um distúrbio do sono

Especialistas consideram o bruxismo como sendo um distúrbio do sono e tem como característica o desequilíbrio da musculatura da mastigação. Além de causar dores e desconfortos, também influencia negativamente na qualidade do sono.

É importante saber que dormir mal resulta em problemas graves, dificultando a concentração, provocando problemas cardiovasculares e causando ou aumentando a ansiedade. Embora não existam estudos que explicam sua causa, existe uma sugestão de que a origem do bruxismo está relacionada ao mecanismo neurossensorial.

Portanto, ocorre um descontrole relacionado a comunicação entre os músculos da mastigação e o cérebro.

É fato que o problema afeta a qualidade do sono, já que as pessoas que sofrem com bruxismo acordam cansadas e ficam sonolentas durante o dia. Especialistas consideram que tais pessoas têm um sono artificial, não conseguindo relaxar, ou seja, ter um sono profundo.

Quais são as causas do bruxismo?

Especialistas ainda não concluíram as causas do bruxismo. Porém, já se sabe que a ansiedade, estresse e outros problemas neurológicos contribuem com o problema.

Quais são as consequências decorrentes do bruxismo?

Muitas são as consequências do bruxismo. É válido saber que esse é um problema que ocorre, comumente, em crianças, mas pode afetar adultos.

Entre as consequências, estão: zumbidos no ouvido, dores musculares na face, desgastes na arca dentária, dores de cabeça, entre outros.

Como saber se sofro com bruxismo?

Para diagnosticar o bruxismo é preciso recorrer a especialistas e estes vão avaliar os transtornos. Ou seja, sintomas como dores no ouvido, cabeça, mandíbula, face e outras. Geralmente o paciente passa por uma equipe multidisciplinar, ou seja, médico, dentista e psicólogo.

É importante contar com um plano odontológico para ter acesso fácil ao profissional, que por meio de uma avaliação, poderá diagnosticar o mais cedo possível o problema. O dentista é capaz de analisar o encaixe dos dentes, o esmalte, entre outros fatores para comprovar o bruxismo o mais breve, a fim de proteger os dentes.

Vale saber que esse profissional indicará o uso de uma placa para proteção dos dentes e não para tratar o bruxismo. Portanto, a equipe multidisciplinar é de real importância.

Qual o tratamento para bruxismo?

O QUE É BRUXISMO

Imagem de Andrzej Rembowski por Pixabay

 

Para um tratamento eficaz, é preciso considerar passar por avaliação da equipe multidisciplinar. Somente por meio do diagnóstico será possível saber qual a principal razão que resulta no problema.

Em geral, é recomendado procurar formas de diminuir o estresse e a ansiedade, que são os principais vilões. Porém, muitos outros fatores podem desencadear o problema.

Entre os tratamentos mais indicados, estão:

  • Placas: feita sob medida pelo dentista para se ajustar aos dentes, ela protege contra o desgaste dentário.
  • Ortodontia: tem a finalidade de corrigir a mordida cruzada, resultante do aperto dos dentes enquanto o paciente dorme.
  • Terapias: com a finalidade de relaxar, as terapias são indicadas contra o estresse.

É fundamental buscar ajuda se sentir quaisquer incômodo ou dores citados, a fim de buscar maior qualidade no sono e evitar problemas maiores, especialmente, nos dentes.


Por: Andreia Silveira, contribui com o site PlanodeSaude.net.


 

FacebooktwitterFacebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *