Paralisia do sono: O que é, causas e tratamento

FacebooktwitterFacebooktwitter

Muitos de nós já sentimos aquela assustadora sensação de despertar e não conseguir se mexer. Esse fenômeno é conhecido como paralisia do sono e é um acontecimento comum. Ele impossibilita o movimento ou fala logo ao acordarmos ou antes de pegar no sono.

É um dos distúrbios do sono mais comuns, podendo ocorrer esporadicamente, sem que signifique que haja nada anormal com o seu sono, nem oferece riscos à sua saúde. Às vezes, a paralisia vem acompanhada de alucinações.

Apesar de muita gente relacionar esse distúrbio com algo sobrenatural ou místico, a paralisia do sono é puramente biológica. Mas, o que muitas vezes pode parecer somente um grande pesadelo, pode ser sintomas de algo muito mais grave.

Paralisia do sono

Imagem de Jess Foami por Pixabay

O que é a paralisia do sono e como é causada?

A paralisia do sono é um distúrbio que ocorre quando as atividades corporal e cerebral saem de coordenação, onde a consciência é retomada antes da mobilidade. Basicamente, é quando o seu cérebro desperta antes do corpo.

É um fenômeno que surge na transição do estado de sono e de vigília, gerando um despertar incompleto. A pessoa está acordada, porém ocorrem sensações de paralisia da musculatura voluntária, exceto pelo diafragma e olhos.

Ocorre quando o corpo persiste em manter sua “fraqueza” na fase REM de nosso sono, onde a atividade cerebral é ágil e os sonhos parecem ser reais. Nessa fase, o corpo fica mais “fraco” ou “lento”, como uma proteção do organismo, de forma que não realizamos um movimento involuntariamente durante o sono.

O que pode fazer com que ocorra paralisia do sono?

Paralisia do sono: O que é, causas e tratamento

Imagem de StockSnap por Pixabay

Os especialistas afirmam que a maioria das pessoas terá um episódio de paralisia do sono pelo menos uma vez na vida. Mas existem fatores que podem aumentar a chance de ocorrer. São eles:

  • Stress e cansaço excessivo.
  • Horários de descanso e sonos irregulares.
  • Mudanças repentinas na rotina.
  • Uso excessivo de drogas.
  • Baixo nível de melatonina e triptofano.
  • Associação com outras patologias, como a narcolepsia.

Tratamento da paralisia do sono

A primeira providência é verificar com um médico se a paralisia do sono não vem de outras patologias. Após isso, é feita uma investigação para identificar a qualidade do sono, para verificar se não há um déficit nesse quesito.

Se a paralisia do sono se manifestar como um sintoma isolado, não irá ocasionar maiores problemas, podendo até descartar assim o tratamento. Mas caso os episódios aconteçam durante mais de três semanas contínuas, é indicado procurar uma ajuda de um profissional do seu convênio médico para iniciar o tratamento ou agendar uma consulta no sistema público de saúde o mais breve.

Alguns médicos indicam mudar a posição de dormir caso note que costuma ter paralisia do sono em determinada posição. Além disso, alguns medicamentos podem ser prescritos pelo médico, para auxiliar a ter boa noite de sono. Em alguns casos mais graves, pode ser necessária a prescrição de antidepressivos.

O que posso fazer para não sofrer com paralisia do sono?

o que é Paralisia do sono

Imagem de 溢 徐 por Pixabay

A mudança do estilo de vida pode contribuir para reduzir ou até evitar esse tipo de distúrbio de sono. Melhorar a qualidade do sono é fundamental para manter a qualidade de vida.

Além disso, mantenha uma rotina organizada e garanta horas de sono suficientes para o descanso e, assim, evitar que os episódios de paralisia do sono ocorram. Outra indicação é tirar férias, pois o estresse causado pela rotina pode desencadear essas ocorrências. Mas quando sair de férias, aproveite todos os benefícios das viagens para a saúde, curtindo o destino ao máximo.

Lembre-se de que ter boa noite de sono contribui em diferentes aspectos da sua vida, incluindo no bom relacionamento com as pessoas, afinal, você fica menos irritado. Então, qualquer problema que impeça de relaxar a noite toda, busque ajuda de um especialista!

Por: Andreia Silveira, redatora do site SeguroViagem

Fonte: Estadão e Super Abril.

FacebooktwitterFacebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *